Doenças em felinos podem diminuir a longevidade dos pets

gatos-siameses
Foto: Divulgação

As siglas podem ser pouco conhecidas do mundo felino, mas as doenças identificadas como Fiv (Feline Immunodeficiency Virus ou Vírus da Imunodeficiência Felina) e Felv (Feline Leukemia Virus ou Vírus da Leucemia Felina) assombram os apaixonados por gatos, já que causam doenças graves e são vírus crônicos. Segundo a veterinária do pet shop Mania de Gato, Beatriz Candolo Marques, são doenças que podem ficar assintomá- ticas durante anos. “Teoricamente, todo animal que nasce de uma mãe desconhecida, que vem da rua ou tem acesso à rua e a outros animais, pode ser portador tanto da Fiv quanto da Felv”, explica a profissional. Tal qual o HIV que o ser humano adquire, a Fiv diminui a capacidade do organismo felino de combater doenças e compromete a imunidade. Já a Felv causa desenvolvimento de diversos problemas como gengivite, câncer, anemia profunda e outros.

Não são doenças fáceis, mas muitos animais vivem bem com elas até que os sintomas sejam apresentados, o que em alguns casos leva vários anos. Muitas vezes, o diagnóstico só é feito quando o animal apresenta algum problema de saúde. Foi o que aconteceu com os gatos da bióloga Stephani Demczuk, 25. Proprietária de três felinos, Ringo, 4, Anita, 5 e Miguel, 6 meses, ela notou que o “caçula” da família não estava bem. “Nós descobrimos levando o Miguel para fazer uma consulta. A veterinária identificou linfonodos aumentados e gengivite e perguntou se gostaríamos de testar para a Felv. Como deu positivo, resolvemos testar todo mundo”, relata.

Como a transmissão da Felv se dá por secreções como saliva, todos os animais de Stephani são portadores do vírus. Beatriz acredita que realizar o teste é essencial para manter o acompanhamento do pet e priorizar sua saúde. “O teste é de sangue, muito rápido, sai em 15 minutos e testa para as duas doenças”, afirma. Caso Ringo e Anita não fossem portadores, os gatinhos teriam que ser separados, já que o alto grau de transmissão do vírus impossibilita a convivência entre os gatos. Já na Para quem ama gatos, o diagnóstico de doenças como Fiv e Felv pode ser muito triste.

Mas a veterinária Beatriz Candolo Marques afirma que algumas medidas podem evitar o contágio de outros bichos e melhorar a qualidade de vida do seu pet. “A Felv é transmitida por qualquer secreção, espirro, saliva, e temos uma vacina que ajuda no caso dos animais negativos. Usou a mesma caixinha, bebeu no mesmo pote, pode pegar. É indicado separar os bichinhos”, indica ela. Mas jamais abandonar os gatinhos, já que existem milhares de animais esperando por um lar. Como o portador de Fiv ou Felv vive muitos anos assintomático, será um gatinho feliz como todos os outros por vários anos. O acompanhamento veterinário pode ajudar a prolongar a vida do gatinho.

Segurança felina

Já no caso da Fiv, que é transmitida por sangue, se os animais são castrados, não é necessário separá-los. Mas é essencial que os felinos não tenham acesso à rua. “Na rua, eles podem entrar em contato com animais infectados pelo vírus, ou mesmo por outras doenças. Sem falar que correm risco de atropelamento, envenenamento e até mesmo podem incomodar os vizinhos. Lugar de pet é do portão para dentro. Se a casa permite escapes dos felinos, coloque tela, troque de portão, mas não permita que seus animais saiam pra rua, ou vai perdê-los antes da hora”, alerta a bióloga Stephani Demczuk.

Buscar saber se felino tem vírus é essencial para a longevidade felinos Fiv, cujo contágio se dá por brigas, cruzas e sangue contaminado, isso não seria necessário, pois quando os gatos são castrados, eles dificilmente brigam entre si. “Na Fiv, os animais podem tranquilamente conviver, mas na Felv recomendamos que os negativos sejam separados”, enfatiza a veterinária

A Fiv e a Felv não têm cura, mas o que o proprietário pode fazer, além de impedir o acesso à rua e castrá-lo, é realizar hemogramas periódicos, para controlar a imunidade do animal, que é a chave para que sua vida tenha mais qualidade. A veterinária Beatriz ainda recomenda que os proprietários testem seus pets sempre antes de adotar.

SERVIÇO – O pet shop Mania de Gato se localiza na rua Sete de Setembro, 1.870. O telefone é: (67) 3321-0450.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *